Eu e as tatuagens

A minha história com tatuagens é bem alternativa. A minha mãe tem um símbolo tribal (significado: dezoito anos), e desde muito pequena eu falo “ah mãe, mas eu nunca vou fazer tatuagem. Nunca vou colar piercing, pintar o cabelo de loiro, me maquiar, quero ser sempre natural”. E minha mãe? Ah, como ela ria… “Daqui a dez anos conversamos novamente”, ela disse.Leia mais »

Anúncios

“Eu sou Anastácia Romanov!”

Não é aula, mas é história. Em qualquer ensino médio é cobrado dos alunos que saibam o que foi a Revolução Russa que, para mim, é de longe o meu assunto favorito! Eu passei três anos consecutivos repetindo e repetindo a lenda de Anastácia Romanov para qualquer pessoa que encontrasse, e não é por menos! Pode não ser por conta do Domingo Sagrento, do Socialismo, Bolcheviques ou Mencheviques (apesar de gostar muito de tudo isso), mas com certeza o que mais atraiu minha atenção no assunto foi o Massacre Romanov – um dos mistérios que mais gosto de falar sobre!Leia mais »

Geração pin-up

Olá! Eu pensei, pensei, pensei muito sobre o que iria falar nessa primeira “postagem oficial”, até me decidir por pin-ups. É certo que, mesmo que alguns de vocês não tenham escutado esse termo, conhecem essas figuras. Mas o que são pin-ups? Como se define, como era a vida delas, como eram vistas? Ah! Esse é um assunto que eu realmente adoro falar sobre!Leia mais »

Upendi quer dizer amor, né?

Olá! Não sei se há um formato padrão para a primeira postagem de um blog, mas tenho certeza de que o nome “upendista” vai gerar algumas dúvidas. Bom, de início, meu nome é Maria Lua. Hoje tenho dezessete anos (mas prefiro dizer quase dezoito) e devo alertá-los: sou uma geminiana nata. Leia mais »